Faltam 364 dias para a próxima Parada!

Ontem estive na XII Parada Gay de São Paulo. Foi a minha décima parada. Só não fui a duas ediçoes: a primeira porque na época meu namorado era muito UÓ e não gostava dessas aglomerações.  Também não fui à de 2003 porque estava, literalmente, no fim do mundo. Fui a trabalho para Ushuaia, na Argentina, e não tive como voltar a tempo. Me lembro que na época foi muito sofrido pra mim… eu louco para estar aqui, sabendo das notícias e a coisa mais gay que eu tinha pra ver por perto era um pingüim-rei com penacho na cabeça.

Desde a primeira vez que eu fui muita coisa mudou, mas a sensação que sinto quando chego é a mesma: uma emoção enorme e muito orgulho de estar participando daquilo tudo. Por várias vezes fico com os olhos cheios de lágrimas e sempre repito que, se dependesse de mim, haveria passeata pelo menos umas tres vezes por ano. Troco facilmente o carnaval, reveillon e qualquer outro evento pelo dia da parada. ADORO.

Minha participação é diferente agora… no começo chegava super cedo e ficava até o finalzinho quando terminava na praça da Republica e MUITA coisa aconteia. Lembro de um ano que fez um frio de matar, de outra vez que desci a Consolação inteira, de costa, beijando uma boca. Paquerei o cara na virada da Paulista, ali na frente do Belas Artes, começamos a nos beijar e quando me dei conta, estava na Republica. Teve um ano que encontrei uma aminga minha, a Jaca e acabei enfiando o pé nela… nem sei como cheguei em casa. Agora minha participação é mais tranquila… ontem dei uma passada, encontrei umas amigas e fiquei só dando uma olhada. Quando percebi que a coisa estava começando a complicar, tratei de ir descendo pela Consolação e fui pra casa a pé, presenciando tudo somente como um observador.

É obvio que existem milhões de criticas a fazer e sugestões a serem dadas só que dessa vez o que pensei o tempo todo foi que temos que tomar consciência que o evento é feito pra todo mundo e que se a coisa acontece desse jeito, é porque TEM que ser desse jeito… deixe-me explicar. Ano passado sai muito triste com o estado de degradação das pessoas e do evento. O que restou rpa mim foi a lembrança de pessoas MUITO bebadas, drogadas e caindo pelas tabelas e carros feios, pessoas feias e um enorme tom cinza em tudo. Faltava cor… faltava alegria espontânea… faltava dignidade. O resultado foi que sai de lá já pensando em não ir nesse ano e sabendo que tudo ia ser muito diferente mesmo… tudo ia ser tão grandioso que se acontecesse alguma merda, seria uma merda fenomenal.

Acompanhei desde cedo esse ano muitas pessoas dizendo que não íam porque a parada antrerior havia sido um show de horrores… só tinha gente feia e suja, drags horrorosas e bichinhas quaquás. Donos de dois ou tres blogs disseram claramente que não iríam pq não queria se misturar com “aquilo” tudo. Como disse, num primeiro momento até pensei igual a eles, mas estando lá, sentindo toda aquela energia, fiquei com vergonha de mim mesmo e de todos que agiram dessa forma. Ok… as pessoas não são as mais bonitas e o ambiente não é o mais fino… mas num evento com mais de 3.000.000 de pessoas, como ser diferente? Onde arrumar tanta barbie e bicha pheeeena pra encher a Paulista e Consolação?? Tenho muita preguiça com a postura elitista e igualitária (nazista mesmo) desse pessoal que frequenta The Week e que acha que tudo tem que ser daquele jeito. Não é um evento onde celebramos a diversidade? Não deveríamos todos estar lutando contra o preconceito? Então porque achar que algumas pessoas tem mais direito de estarem alí do que outras? A realidade do mundo gay é muito diferente do que a gente imagina… e se temos de ser orgulhosos do que somos, temos que entender e aceitar todo mundo do jeito que é.

Não vejo a hora que chegue a passeata do ano qu vem. Com certeza estarei lá e com o coração bem mais aberto e feliz por fazer parte daquilo tudo.

Anúncios

3 comentários

  1. Tinha lido lá no Bloglines, vim aqui pra dizer que AMEI esse post! eu acho essa parada o máximo, gente três milhões de pessoas é uma coisa impensável em outros países! fico orgulhosíssima do Brasil! beijão!

  2. como diria ana, a carolina, é isso aí!

    Aqui em poa é um freak show… são poucas as ricas e famosas, bombadas e belas que dão as caras… na sua maioria ficam só olhandA. Claro que as que vão pro meio da parada de biquine com a temperatura beirando os 10 graus são as semi-travecas, as quaquás e as traveconas mais assanhadas.
    Nem só de phinas vive o mundo gay e são as mais loucas que dão a cara a tapa e o corpinho pra levar bordoada de homofóbico e da puliça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s