Mês: outubro 2008

Equanimidade e Amor

Hoje, sei lá por quê, resolvi procurar o significado da palavra EQUANIMIDADE, muito usada em qualquer ensinamento/ texto budista. Sempre li essa palavra, sempre entendi o que era mas não sabia explicar o resultado. Dei uma googlada e encontrei:

EQUANIMIDADE:

 

 1.Ânimo inalterável, sempre igual, tanto na adversidade como na prosperidade.
2. Espírito sereno, equilibrado.
3. Correção e imparcialidade.
 

 Equanimidade significa serenidade de espírito. É um estado natural e relaxado, a capacidade de experimentar de maneira estável as diferentes situações do mundo físico, das sensações, da mente e dos fenômenos. É caracterizada pela profunda tranqüilidade, completamente livre de oscilações.
Nada paga o preço de estarmos felizes por nós mesmos. Alcançando esse estágio, até mesmo os relacionamentos ficam mais fáceis de se lidar, de pensar usando a razão ao invés do coração. Isso traz uma paz incomensurável.

Eu estava certo no que eu imaginava que seria o significado da palavra… mas mesmo assim resolvi continuar navegando nos links que o google me apresentou. Cheguei a esse link e, engraçado, serviu para reforçar um montão de coisas que temos acompanhado recentemente e também para reafirmar o que eu sempre acreditei e defendi. Olha só que interessante:

Equanimidade* no Amor

Sem upeksha, o amor se torna possessivo. Uma brisa de verão talvez seja refrescante, mas se tentarmos enlatar a brisa para tê-la ao nosso dispor, a brisa morrerá. Com as pessoas que amamos acontece a mesma coisa. A pessoa amada é como uma nuvem, uma brisa ou uma flor. Se você aprisioná-la em uma lata ela morrerá. Entretanto, muitas pessoas fazem exatamente isto. Tiram a liberdade de seus seres amados até o ponto onde a outra pessoa não consegue mais ser ela mesma. Vivem para satisfazer seus próprios desejos, usando o ser amado para ajudá-los a fazer isso. Isso não é amar, é destruir. Você diz que ama a pessoa, mas se não tentar entender seus anseios, necessidades e dificuldades, a pessoa viverá em uma prisão chamada de amor. O verdadeiro amor preserva a liberdade das duas pessoas, e é isso que é upeksha

É isso. Para ter seu amor perto, deixe ele solto. Não prenda, não controle, não interfira na vida dele/a. Falo iso por experiência própria. Já senti na pele o amor indo embora porque me sentia preso, controlado e INFELIZ. Lembro de uma musica da Marina que sempre ouvia… Guardar, guardar, guardar… num cofre, não se guarda nada, num cofre, perde-se a coisa vista…

Palhaçada!

Amei essa foto! O autor é Eduardo Verdugo da AP e foi tirada numa convenção de palhaços realizada recentemente na Cidade do México. Adorei o colorido, a idéia de palhaços reunidos e fiquei imaginando tudo que rolou por lá… Deve ter sido, no mínimo muito engraçado. Me toquei também do quanto é poética essa imagem… talvez em algum lugar do mundo, por alguns momentos, tudo tenha sido perfeito leve e da forma que gostaríamos que fosse: levando a vida com humor, cores e leveza. Fiquei imaginando, também, que deve ter sido uma ótima oportunidade pra se “descabelar o palhaço”…

Pantanal

Eu fico assistindo à reprise da novela Pantanal no SBT e não tem como lembrar da época na qual a novela foi apresentada prla primeria vez. O engraçado é qu enão faz tanto tempo assim… 1990 foi ontem. Eu ja era adulto, já trabalhava, tinha minha vida própia mais do que encaminhada, mas por outro lado, se formos ver com a realidade do mundo de hoje, parece que tudo aconteceu no século passado. Ok.. ok.. sei que aconteceu mesmo no século passado… no milênio passado, inclusive… mas dói dentro da gente saber que o tempo é cruel com sua pressa e vontade de continuar tocando em frente. Hoje assiti o capítulo e fui elaborando essa listinah de coisas que não existiam naquela época e que são tão corriqueiras hoje em dia. Coisas que nem imaginávamos que um dia poderiam existir e que hoje não podemos viver sem:

  • cd
  • dvd
  • micro-ondas
  • tv digital
  • tv a cabo
  • telefone celular
  • computador
  • email
  • internet
  • drag queens
  • ipod
  • windows
  • mac
  • inflação baixa
  • kiwi
  • pit bull

O capítulo esta acabando e vou parar por aqui… aos poucos vou lembrando de outros itens e vou colocando aqui.

Para pensar….

Tenho um amigo meu que esta fazendo uma coisa que me faz morrer de inveja: ele saiu pra dar uma volta ao mudo, com uma mochila nas costas e muita vontade de viver uma aventura maluca. Sei que não é tão difícil fazer isso, basta querer…. mas eu, no memoento não consigo. Sou bundão mesmo, confesso… por isso essa pergunta que encontrei no perfil do orkut dele me pegou tanto…

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

No on Prop 8

Dando sequência à série Não Homofobia, encontrei essa animação bem legal criada para para ser usada contra a campanha que acontece paralaelamente lá nos Estados Unidos, a “No on Prop 8“. Essa proposta 8 é um projeto de lei que tenta de uma vez por todas acabar com a possibilidade do casamento gay ou a luta contra qualquer forma de homofobia ser aprovada naquele país. O desenho é fofo  e a mensagem corretíssima: “cada um sabe da sua vida e faz de tudo para ser feliz. Impedir um casamento entre pessoas do mesmo sexo não é nenhum tipo de impedimento delas continuarem a vida como já levam. Muitas vezes já se consideram casadas. O aval do Estado, o papel assinado é apenas uma forma de afirmar seu amor ao mundo, assim como o casamento entre heterossexuais. All about Love. No on Prop 8!”.

Fico impressionado como é simples vender essa idéia… porque pessoas acham tão difícil comprá-la?