Livros

Becky Bloom

Você conhece a Becky Bloom? NÃO??? Pois então trate de ir correndo à livraria mais próxima e comprar o primeiro livro dessa maluca que tanto amo e não consigo mais viver sem suas aventuras. O livro é esse aqui, olha só:

Deixa-me então explicar quem é Becky Bloom: uma maluca, doida, desvairada que não consegue passar um segundo sem comprar alguma coisa. Claro que esse desespero consumista a coloca em confusões gigantescas que fazem você suar frio junto com ela tentando imaginar qual será a saida daquela merda toda. Mas não se preocupe, tudo é contado com extremo bom humor… é daqueles livros que fazem você gargalhar como se estivesse vendo um filme dos irmãos Marx.

Descobri a Becky meio que sem querer e em duas páginas já estava viciado. Chego a sentir saudades dela quando o livro termina. Uma vez ria tanto no meu quarto que minha mãe veio bater na porta pra saber quem era a pessoa que estava me fazendo tão feliz… e é isso que ela (a Becky, não minha mãe) consegue comigo: ela me deixa feliz e faz com que eu desligue de tudo. Só esclarecendo.. minha mãe também me faz feliz… a única diferença é que ela fala MUITO mais que a Becky…

É por causa Becky que eu criei um “bordão” típico meu.. Todo mundo que gosta de uma novidadezinha no armário se identifica com a Becky  eu não poderia ficar de fora disso… Não chego nem ao pés dela, mas as vezes fico tentando me convencer que preciso MUITO de uma pecinha nova. Então, quando entro na Zara, por exemplo, e vejo um casaco lindo de trico preto com bolsos de nylon e ziper gigantesco, eu penso comigo: “Preciso levar um desses porque eu to MUITO sem casaco de trico preto com bolsos de nylon e ziper gigantesco!”

Acabou… snif

Acabei ontem de ler o Harry Potter. Acabei ontem e até agora to meio passado. Tanta coisa aconteceu na história… muita correira, aventuras, reviravoltas, emoções e surpresas que até agora to meio que tentando assimilar tudo. Quem nunca leu não sabe o que está perdendo. Quem nunca leu não vai entender o que eu e vários fans da série estamos sentindo. Foram quase dez anos esperando ansiosamente cada lançamento de um novo livro. Valeu ter lido… valeu ter esperado e valeu muito ter descoberto Harry Potter um dia.

Comer Rezar Amar

Eu adoro livros escritos em primeira pessoa. Tudo o que eu li recentemente e que me fez bem tinha suas histórias contadas pelo narrador. Talvez eu goste porque assim a narrativa leva um tom mais pessoal, ou pareça mais sincera… mas o que acaba me atraindo mesmo é que geralmente são livros com mais humor. Tô falando também de um gênero bem específico… histórias de mulheres que passaram por grande mudança na vida e narram isso tudo de forma leve e engraçada. Livros como “Melancia”, “Férias” e “Delírios de Consumo” (imperdível) são exemplos top dessa linha de livros que tem me atraido.

Atualmente estou lendo um que me atraiu, primeiramente, só de ver o título: “Comer Rezar Amar”… não é demais? Já na primeira página sabia que ia curtir e não estava enganado. Fico super feliz quando o livro acompanha meu dia-a-dia… quando fico com ele na cabeça o tempo todo e não vejo a hora de ter uma folguinha pra ler um capítulo que seja.

Logo de cara vi também que eu ía ficar muito mexido com a história… Liz é uma escritora que resolve tomar conta da sua vida e fazer um montão de coisas que gosta (viajar, conhecer, sentir e aprender) mesmo tendo de desistir de um casamento com um homem que a amava. Logo de cara, no primeiro capítulo, ela está ajoelhada, no chão do banheiro, no meio da madrugada e aos prantos pedindo uma luz pois seus desespero é tanto que ela não consegue ver uma saída. É nesse momento que ela começa a rezar, espontaneamente, e o livro começa. 

Achei que não conseguiria dar prosseguimento na leitura porque vivi uma situação muito parecida… MUITO mesmo. Fiquei parado, olhando para o livro e com medo de continuar… medo de enfrentar fantasmas e reviver emoções muito fortes que já pareciam… eu disse PARECIAM… estar resolvidas. Mas eu respirei fundo e toquei o bonde… ainda bem, o livro é ótimo e está me fazendo muito bem! A única diferença é que minha história não resultou num livro e nem passei um ano viajando… eu somente rezei, pedi e recebi a orientação, SEPAREI e mudei minha vida pra MUUUUUUUUUUITO melhor!