Para Pensar…

Voltei

Preciso escrever. Preciso desabafar. Preciso pensar. Então deixa eu chamar o peixe boi! Saudades. Saudade de um tempo que eu era mais leve e esperançoso. Não estou péssimo e arrasado não. Só acho que perdi o filtro cor de rosa que todos carregamos até determinado momento da vida.

Esse blog fez parte da minha vida. Ainda faz, porque volta e meia eu lembro de um texto e volto aqui pra dar uma olhada. Agora mesmo, lembrei de um post que fiz falando sobre Impermanência e voltei para procura-lo. Senti saudades. Por isso estou aqui escrevendo de novo. Capaz até de eu voltar… só preciso arrumar os temas e a coragem.

Anúncios

Começou tudo de novo!

Receita para um ano novo cheio de alegria:

0101_182318

1. Escolha um local que você gosta e, de preferência, no mei na natureza, bem calmo, cheio de paz, silêncio, tranqüilidade  e  ar puro;

1231_225745

2. Escolha passar a noite da virada e, se possível os dois primeiros dias do ano, com pessoas que você realmente ama e se sinta em paz;

1231_225600

3. Prepare uma refeição com ingredientes bem simples, mas fazendo tudo com muito amor… lembre-se, não importa a quantidade nem a sofisticação dos pratos mas sim a quantidade de amor e dedicação que você coloca no preparo;

0103_100419

4. Junto com os amigos, reze. Nãoi importa a religião, não importa a crença, o importante é todos juntos, com a mesma intensão, pedindo a mesma coisa para o todo mundo e para o mundo todo. Tá bom, tá bom, pode pedir alguma coisa prara você também!

0102_133944

5. Sim, bebidas são permitidas, mas só depois que acabar o momento da reza… e sem exageros;

6. Dance, pule e grite, não tenha vergonha por estar celebrando a chegada da esperança de que tudo vai mudar e coisas legais acontecerão;

7. Mas não se esqueça de despedir do ano que se foi também! Afinal, se você chegou até essa festa, por pior que tenha sido tudo, é porque você está vivo e só esse fato já merece muita comemoração!

Escrevi esse texto, hoje, quase já no terceiro dia do ano, pra registrar minha experiência e aprendizado da festa de réveillon dessa passagem de 2008  para 2009. Estive com amigas queridas, num lugar incrível e fiz a coisa mais importante que tinha que fazer: RELAXEI. Até banho de cachoeira rolou. Que venha 2009 porque já que estou forte e energizado para agüentar tudo que vem por aí!

Santa Catarina

santa_catarina3

Quer ajudar o pessoal de Santa Catarina? Já ajuntou um montão de roupa sem uso ou está comprando comida não perecível pra mandar pro pessoal de lá? Isso vai te fazer bem, né… vai fazer com que você se sinta sem culpa e livre pra continuar levando sua vida de sempre aqui longe de tudo não é?

Pois hoje aconteceu justamente o que eu, de brincadeira, achei que ia acontecer… pediram para as pessoas não enviarem mais nada porque não tem mais como guardar e como distribuir tanta coisa.

O que eu acho que realmente poderíamos fazer para, de verdade, ajudarmos aquele pessoal e, por consequencia, as vítimas das enchentes do Rio de Janeiro, de Minas e de outros estados que provavelemnte serão atingidos nesse verão é o seguinte:

Vamos pensar nessa tragédia como um sinal, claro, de que a natureza não está satifeta com a forma que tratamos nosso planetinha tão querido.

Então vamos, a partir de agora, pensar grande, em uma ofrma mais ampla e global e, com gestos simples, procurar melhorar esse lance do aquecimento global. tenho certza que essa atitude será bemmais útil e duradoura do que ficar juntando cacarecos e mandando para lá. Vamos desligar as luzes que não estão sendo usadas… brigar com motorista de caminhão que fica jogando fumaça preta na cara da gente… não jogando papel pela janela do carro… bituca de cigarro… andar mais a pé, de bicicleta e de ônibus… vamos pensar no planeta, na natureza e na casa da gente. Nada de procurar soluções práticas e que só servem para tirar de cima da gente uma culpa que só vai ser eliminada quando pensarmos corretamente e de forma global.

 

Caça Fantasmas

gost-bustersOk.. tenho andado sumido. Razões existem mas não vem ao caso… só não me sentia inspirado em escrever. Às vezes isso acontece… falta de assunto, preguiça, vergonha, tudo é motivo pra não entrar aqui e deixar um post. Mas, de vez em quando, alguma coisa que eu leio, encontro ou me dizem, liga o meu botãozinho de blogueiro e eu entro aqui correndo. Preciso arrumar uma forma de sentir isso mais vezes…

Nesses últimos tempos muita coisa aconteceu: Namorado enfartado, luta contínua contra o peixe-boi QUASE vencida (tenho receio de escrever isso), novos projetos no trabalho… mas nem por isso deixei de ler meus blogs preferidos e também descobrir novos pra incluir na minha lista de favoritos. Uma das ultimas deliciosas descobertas foi o blog da Lola, o Escreva Lola, Escreva. Talvez esse tenha sido um dos motivos do meu sumiço também… adooooro a forma que ela escreve e me sinto envergonahdo e com invejinha por não conseguir ter um texto tão claro, inteligente, engraçado, direto, delicado.. enfim, quando eu crescer, quero ser igual à Lola!

Nos últimos tempos ela tem falado muito sobre violência contra mulher. As discussões sempre são calorosas e as histórias contadas deveriam ser lidas por todos. Aprendi MUITO com tudo que encontei lá e fiquei surpreso em perceber em mim mesmo um montão de coisas (preconceitos nojentos) que eu não sabia que tinha. Ainda bem que sou inteligente, aberto ao aprendizado e já estou tratando de resolver isso comigo mesmo… depois desses posts com certeza serei uma pessoa muito melhor.

A Lola fez uma coisa que mexeu muito comigo… escreveu um post inteiro falando sobre “A Mais Terrivel História de Horror” vivida por ela: um quase estupro sofrido por ela na adolescência. Esse post gerou uma serie de depoimentos espontâneos de várias mulheres contando suas histórias de horror. Impressionante o que um ser humano pode fazer pra acabar com a vida de outra pessoa. Acabei de ler no blog da Patrícia Daltro outro depoimento impressionante inspirado nesse post da Lola. Vale ser lido.

Fiquei com vontade de contar aqui a minha história de horror. Não, não fui violentado nem agarrado a força por meu vizinho… mas tenho uma história que aconteceu esse ano que vive me assombrando. Não tem um dia que ela não me venha à cabeça e me faça sentir raiva, ódio, medo, pena, angustia, tristeza, vontade de me vingar.. tudo ao mesmo tempo. Não vou falar aqui e agora porque ainda não é a hora… preciso ruminar ainda um pouco mais.

Todo mundo tem uma história dessas e é dificil colocar pra fora e assumir o acontecido mesmo para a pessoa mais íntima. Fico procurando alternativas pra me curar dessas lembranças e onde encontrei ALGUMA resposta foi na meditação e na tentativa de elevar meu espírito ao um grau superior a desses seres baixos e rastejantes. Então, vamos fazer uma coisa pro bem da humanidade: que tal se mundo entrasse nesse site e participasse desse abaixo assinado: Homens Unidos pelo Fim da Violência contra as Mulheres? Tenho certeza que esse pequeno gesto vai fazer muito bem a você, à todas as vítimas, ao planeta, ao karma da humanida… enfim, ao universo! Chega dessa batalha ser uma coisa só de mulheres… vamos participar disso e deixar bem claro que nem todo homem é *¨%$#@%¨$ e pratica insanidades contra as mulheres.

Equanimidade e Amor

Hoje, sei lá por quê, resolvi procurar o significado da palavra EQUANIMIDADE, muito usada em qualquer ensinamento/ texto budista. Sempre li essa palavra, sempre entendi o que era mas não sabia explicar o resultado. Dei uma googlada e encontrei:

EQUANIMIDADE:

 

 1.Ânimo inalterável, sempre igual, tanto na adversidade como na prosperidade.
2. Espírito sereno, equilibrado.
3. Correção e imparcialidade.
 

 Equanimidade significa serenidade de espírito. É um estado natural e relaxado, a capacidade de experimentar de maneira estável as diferentes situações do mundo físico, das sensações, da mente e dos fenômenos. É caracterizada pela profunda tranqüilidade, completamente livre de oscilações.
Nada paga o preço de estarmos felizes por nós mesmos. Alcançando esse estágio, até mesmo os relacionamentos ficam mais fáceis de se lidar, de pensar usando a razão ao invés do coração. Isso traz uma paz incomensurável.

Eu estava certo no que eu imaginava que seria o significado da palavra… mas mesmo assim resolvi continuar navegando nos links que o google me apresentou. Cheguei a esse link e, engraçado, serviu para reforçar um montão de coisas que temos acompanhado recentemente e também para reafirmar o que eu sempre acreditei e defendi. Olha só que interessante:

Equanimidade* no Amor

Sem upeksha, o amor se torna possessivo. Uma brisa de verão talvez seja refrescante, mas se tentarmos enlatar a brisa para tê-la ao nosso dispor, a brisa morrerá. Com as pessoas que amamos acontece a mesma coisa. A pessoa amada é como uma nuvem, uma brisa ou uma flor. Se você aprisioná-la em uma lata ela morrerá. Entretanto, muitas pessoas fazem exatamente isto. Tiram a liberdade de seus seres amados até o ponto onde a outra pessoa não consegue mais ser ela mesma. Vivem para satisfazer seus próprios desejos, usando o ser amado para ajudá-los a fazer isso. Isso não é amar, é destruir. Você diz que ama a pessoa, mas se não tentar entender seus anseios, necessidades e dificuldades, a pessoa viverá em uma prisão chamada de amor. O verdadeiro amor preserva a liberdade das duas pessoas, e é isso que é upeksha

É isso. Para ter seu amor perto, deixe ele solto. Não prenda, não controle, não interfira na vida dele/a. Falo iso por experiência própria. Já senti na pele o amor indo embora porque me sentia preso, controlado e INFELIZ. Lembro de uma musica da Marina que sempre ouvia… Guardar, guardar, guardar… num cofre, não se guarda nada, num cofre, perde-se a coisa vista…

Para pensar….

Tenho um amigo meu que esta fazendo uma coisa que me faz morrer de inveja: ele saiu pra dar uma volta ao mudo, com uma mochila nas costas e muita vontade de viver uma aventura maluca. Sei que não é tão difícil fazer isso, basta querer…. mas eu, no memoento não consigo. Sou bundão mesmo, confesso… por isso essa pergunta que encontrei no perfil do orkut dele me pegou tanto…

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Felicidade

Vamos lá… bem.. por onde começo? Tenho vontade de falar sobre uma idéia minha mas não sei se vou conseguir colocar no papel/ tela tudo que se passa pela minha cabeça. Eu penso muito, registro tudo e coloco as informações num liqüidificador interno que de vez em quando põe para fora uma teoria que, pelo menos para mim, parece coerente.

Outro dia eu estava conversando com uma amiga aqui do trabalho. Ela esta passando por um momento delicado no namoro e eu resolvi dar uma de conselheiro amoroso. Quando vi estava expelindo idéias e conceitos que saíam da minha boca e que, segundo ela, foram muito úteis para ela resolver a situação difícil pela qual passava.

No meio do papo eu consegui passar para ela uma idéia… um conceito.. uma definição… sei lá de como chamar isso… do que seria a FELICIDADE. Eu leio muito sobre budismo, fiz cursos e assisti palestrar sobre assuntos esotéricos e sempre pego informações assistindo filmes, seriados e em livros… e desenvolvi essa idéia que quero postar aqui. A coisa funciona mais ou menos assim:Quando nascemos e chegamos aqui nesse mudo, somos exatamente “o que somos de verdade”, sem influências externas, interferências e sugestões de terceiros. É quando essas influências, interferências e sugestões começam a aparecer nas nossas vidas que a coisa fica feia… a gente vai se afastando desse “EU VERDADEIRO” e a tristeza e infelicidade começam a tomar conta da nossa alma. É assim que a depressão aparece.

Era isso que eu conversava com minha amiga… ela falava da tristeza e desilusão pela qual passava no relacionamento e de como ela é mais verdadeira, e feliz, quando está solteira. EU concordo inteiramente com ela.. sou muito mais verdadeiro, muito mais eu e muito mais feliz quando estou solteiro. Sei que o relacionamento pode ser um ENORME fonte de felicidade, mas o problema é quem geralmente abrimos mão de muita coisa, deixamos de fazer o que gostamos tudo em nome da paz no namora/ casamento. Ai vamos nos afastando da nossa verdade, a coisa vai ficando sem graça e o amor acaba porque não estamos sendo felizes.

O que eu quis explicar para ela é que eu acredito que o sentimento de FELICIDADE aparece quando entramos em contato com esse eu verdadeiro. Quando fazemos alguma coisa que realmente gostamos, por mais boba que seja, o dia se transforma e a vida passa a valer a pena. è tão claro isso para mim… a felicidade mora no nosso eu verdadeiro e o que temos de fazer para alcança-la é chegar o mais perto possível da nossa verdade interna. Ir ao show da Madonna está me fazendo isso, ler um livro bom, descobrir musicas novas, ficar zapenado na tv, correr na esteira, brincar com cachorros, sair com amigos, dançar, conhecer pessoas legais são coisas que me colocam diretamente em contato com o Paulo de Verdade e que fazem o sorriso nascer lá dentro de mim… sim, porque eu sei exatamente onde o sorriso nasce. Qualquer dia desses falo nisso.